A curva na decoração

Já parou para pensar porque temos maior atração e até mesmo um gosto por tudo que possui forma orgânica, curva, redonda? E que intuitivamente achamos essas formas mais fluidas, bem dispostas e harmônicas, ainda mais quando falamos em espaços arquitetônicos, internos e justamente nos detalhes mais ínfimos como decoração.

Então por quais razões o quesito orgânico nos chama tanto a atenção e não pode ficar de fora de um projeto?



Casa japonesa em formas curvas. Fonte: Arq. Stein Leitão

O círculo é a única forma geométrica que não possui pontas e por tanto, nenhuma reta. É formato por um único contorno que termina em seu próprio início e, dessa forma, se completa como uma figura contínua e infinita. Em diversos estudos sobre forma, Kandinsky conseguiu fazer uma associação entre cores primárias (azul, vermelho e amarelo) e formas elementares (quadrado, círculo e triângulo) para verificar qual a relação lógica entre ambos os conceitos. Descobriu, então, que existe uma interação entre a psicologia das cores com a razão de existir das formas: o azul, uma cor fria que se apresenta de modo contínuo, calmo e está presente em diversos elementos e fenômenos da natureza como céu, horizonte e mar só pode estar contido no formato do círculo, que traz a mesma essência. Já o amarelo, uma cor mais dinâmica e intensa só poderia se enquadrar em um triângulo que possui três pontas, deixando a cor se ramificar para esses três lados, dinamizando-a. Por fim, o vermelho, uma cor extremamente intensa, quente e que se apresenta como um sinal de alerta para diversos elementos do nosso convívio está certamente inserida com maior facilidade no formato quadrado, um elemento estático, reto e sem movimento. Confira abaixo um teste proposto por Kandinsky que comprovaram seus estudos após diferentes análises:




Além desse estudo que interpreta a percepção da cor e da forma, o círculo e as formas fluidas e orgânicas se concentram em abundância na natureza. Este é, inclusive, o principal fator de nos atrairmos inconscientemente por esses tipos de formatos. Sabemos que o vínculo com a natureza estimula o bem-estar, o conforto, o lazer e principalmente a qualidade de vida e a saúde. Mas, devido a uma rotina extremamente corrida e com tecnologias que cada vez mais parecem nos afastar do meio natural, no subconsciente a necessidade de um contato mais puro com elementos da natureza ainda se faz presente. É dessa forma que a Arquitetura e a Decoração surgem com construções, mobiliário, revestimentos e decorações que se utilizam de formas curvas e orgânicas para trazer maior harmonia e conforto, numa ideia de substituição sobre o que de fato não conseguimos ter de forma tão presente e expressiva.



Formas orgânicas na natureza

Exponencialmente, na tentativa de tornar os espaços mais aconchegantes, receptivos, intimistas e menos "mecânicos" ou com "cara de loja", as empresas passaram a reproduzir novas tecnologias para reinterpretar o novo conceito de conforto e bem-estar. A introdução de elementos curvos e formas orgânicas em móveis, adornos, tapetes, revestimentos e iluminação trazem um resgate da harmonia, do equilíbrio e da tranquilidade nos espaços, inspirando-se principalmente em elementos da natureza como folhagens,flores e frutos que se exaltam por sua delicadeza e leveza da forma.

Juntamente com este conceito, as formas curvas e orgânicas nos espaços internos promovem uma maior circulação e disposição, fornecendo um respiro necessário para cada ambiente poder se expressar e traduzir a personalidade do morador.


Abaixo, uma seleção e curadoria sobre peças, móveis, revestimentos, iluminação e decoração com formas curvas e cases inspiradores sobre a natureza. É para se inspirar, transformar e cultivar essa nova vertente do design. Já pode apostar nas curvas!



Decoração com formas curvas e sobreposição de mesas redondas. Fonte: Fashionismo

Em uma proposta que mistura o provençal com uma atmosfera levemente futurista, o designer russo Reutov utilizou uma paleta de tons pastel e reproduziu todo o mobiliário em formas curvas de gomos, além de mesas e esquadrias curvas.


Presença de plantas e ornamentos em contraposição com o mobiliário curvo, proporcionando sincronismo, equilíbrio e harmonia entre as peças. Fonte: Mostra Artefacto Curitiba

E que tal uma inspiração de construção que utiliza as curvas e sua organicidade para moldar um espaço? Quando a Arquitetura possibilita a criação de formas curvas para configurar um novo cenário ou ambiente, as próprias paredes já servem de pano de fundo para uma composição mais fluida e contínua, onde certamente nos sentimos mais acolhidos.



Parede curva que se transforma em banco. Fonte: Megacurioso

A Arquitetura traz o poder de literalmente abraçar o espaço e seu usuário quando se utiliza de curvas para se expressar:




A junção das curvas no teto e no mobiliário desse espaço gourmet se fundem em uma única composição com máxima inspiração na natureza. Projeto: Fernanda Marques

E por fim, vamos com uma inspiração que mistura todos os outros conceitos retratados anteriormente, mas com um toque a mais de lar! Gostam?



Decoração Wabi-Sabi. Fonte: Casatreschic


Essa referência explora o estilo Wabi-Sabi que explora a beleza da imperfeição e o íntimo contato com a natureza através das formas, do uso de plantas e até mesmo da paleta de cores que tende frequentemente para tons neutros, crus e terrosos, fazendo uma alusão à terra, algodão, linho e a madeira. É, inclusive, um dos estilos que melhor se relaciona com as formas curvas e à ideia de estimular e valorizar o meio natural, buscando sempre uma maneira de inserí-lo em nosso cotidiano e lar.








0 visualização

NATHALY DOMICIANO | interiores e superfícies

2020 | Todos os direitos reservados

São Paulo, Brasil - (+55) 11 93330 5664